Hoje é dia 23/10/17

Notícias » Polícia

EFEITO 'ESDRAS' : Secretário de Justiça preso por suposto envolvimento em esquema de grampos pede para deixar o cargo

02/10/2017 às 19:17

Fonte: Da Redação com G1 MT

Coronel PM Airton Siqueira estava afastado do cargo de secretário estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) desde o dia 27. No lugar dele, assume o delegado Fausto Freitas.

 

 Coronel da PM, Airton Siqueira Junior foi preso por suposto envolvimento em esquema de interceptações clandestinas em MT (Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT)

Coronel da PM, Airton Siqueira Junior foi preso por suposto envolvimento em esquema de interceptações clandestinas em MT (Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT)

O secretário de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), coronel PM Airton Benedito de Siqueira Júnior, pediu ao governo do estado a exoneração dele do cargo, após ser preso no último dia 27 durante a Operação Esdras, que investiga o esquema de grampos clandestinos operado por policiais militares em Mato Grosso, durante os anos de 2014 e 2015. O G1 não localizou a defesa do coronel.

Em nota, o governo informou que o pedido do coronel foi aceito e que, no lugar dele, será efetivado o delegado Fausto José Freitas da Silva, que responde interinamente pela pasta desde a última semana. A exoneração de Airton Siqueira deverá ser publicada no Diário Oficial do Estado, nos próximos dias.

O coronel Airton Siqueira já estava afastado do cargo desde o dia em que foi preso. Ele foi o primeiro membro da alta cúpula da PM a admitir, em depoimento à Corregedoria da Polícia Militar em julho deste ano, que o governador Pedro Taques (PSDB) sabia dos grampos.

Siqueira afirmou, naquela ocasião, que o governador tinha conhecimento do esquema de escutas clandestinas operado pela corporação, mas negou qualquer participação no crime.

Preso, o coronel foi encaminhado para a Academia da PM no Bairro Costa Verde, em Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

 

Gabinete de Transparência

 

Ao assumir a Sejudh, o delegado Fausto Freitas deixa o Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção (GTCC), pasta que respondia cumulativamente desde a prisão de Siqueira. No lugar dele, segundo o governo, assume o atual secretário- adjunto, Carlos Corrêa Ribeiro Neto.

 

Operação Esdras

 

A Operação Esdras foi deflagrada nesta quarta-feira com o objetivo de cumprir oito mandados de prisão, 15 mandados de busca e apreensão e um mandado de condução coercitiva. As medidas cautelares são contra dois advogados. A condução coercitiva é contra o corregedor-geral da PM, coronel Carlos Eduardo Pinheiro da Silva.